Thursday, November 24, 2005

Ser

Normalizo o espaço de bolas que giram.
Pego em cada uma, lanço-as ao ar.
Caiem num pântano de ervilhas.
Bolas de cor verde, em ervilhas de cor alaranjada.
Mar de saltitões que rebolam no universo de seminus.


Escuridão fina que se esconde por entre as arvores.
São longos os ramos que batem nos contornos...
São longas as ruas que movem as aves...
São longas as estrelas que se escondem...
São longos as sirenes que estão amordaçadas.

Dispo as nozes.

3 comments: