Wednesday, February 27, 2008

Pedaços duma Vida

  • Espalhar a desgraça.
  • Lavrar a aridez.
  • Inventar o sonho.
  • Emoções em grades de alucinações.

    “Levas uma galheta no focinho” – Mulher do Bolhão.
    Sentimentos impregnados de fado – Cartaz do café.

    P.S: Ainda me vou tornar no mestre do livro das reclamações. Será possível espalhar poemas em tais livros?

Ertuca Slirto Rabré!!!

Tuesday, February 26, 2008

Salpicos

Ossos quebrados com o gemido das veias escapam dos remoinhos do calor, num corredor em que o fogo fica abraçado ao vento. Gotas, mais gotas, mais gotas, duma solidão sem fortuna. Aperto de braços tristes, rebolo a suavidade do olhar, toco o fantasma. O sentimento aprisionado desta maneira vive com cega melodia. Salpico de tempo, salpicos amargos, salpicos germinados, salpicos que deveriam estar na fogueira, a arder...

Saturday, February 23, 2008

"Lugar"

...

Pedem tanto a quem ama: pedem
o amor. Ainda pedem
a solidão e a loucura.
Dizem: dá-nos a tua canção que sai da sombra fria.
E eles querem dizer: tu darás a tua existência
ardida, a pura mortalidade.
...

Herberto Hélder, Lugar - II

Friday, February 22, 2008

Labirinto

A solidão do corpo rasga o Ser das flechas povoadas dum brilho fúnebre, escondida Lua. Marcho, divago, rego canteiros do casulo, penetro uma suavidade do tempo nublado. Repleto de imagens vagueio no corredor de labirintos...

Wednesday, February 20, 2008

Estremecer

Alma regada pela silhueta
Do teu perfume...
Corpo trespassado pela ampulheta
Do teu queixume...

Estremeço...

Ternura ofegante de rasgar o manto,
Frescura palpitante de palpitar o santo.

Borbulhar o caldeirão dum suspiro
Ancoro-me a ti... Lua.

Monday, February 18, 2008

Plim

P
L
I
M
!

Aborrecido cansaço que abana o ser
Levando a querer pendurar o sorver.
Caminhar o entrelaçar das letras
A mergulhar gemidos em florestas.

O quotidiano mergulhado nas trepidações
Para vislumbrar rostos de orações
Até que se ouve a margem esquecida do dedo,
Num canto virgem do rio do medo...

P
L
I
M
!

Thursday, February 14, 2008

Erotismo II


video



O que há em mim é sobretudo cansaço- (Excerto)


Álvaro de Campos

Wednesday, February 13, 2008

Erotismo

Asas abertas sobre cortinas.
Desce o vestido nublado,
Dança a neblina do erotismo...

Friday, February 08, 2008

Miragem da Alma

As notas dedilhadas no silêncio com a Alma pousada no resguardo da parede, rasgam os portões sem ouvidos aninhando-se à possuidora melancolia das miragens. Transbordam os olhos do infinito para as mãos abraçadas. Viagem que o espelho esquece, viragem que o tempo humedece.A solidão ondula em cicatrizes sem o passado aconchegante, nem o futuro talhante. Momento de paz infernal tornado reflexo da própria matéria que se devora.
(Entre as teias duma plateia feminina)

Monday, February 04, 2008

Sino

Andam galos degolados...
Andam gatos com olhar desvastados...
Toca o sino! Toca o sino!

Andam retalhos de olhar escondidos....
Andam no monte os fantasmas vendidos...
Toca o sino! Toca o sino!

Salva a Alma, salva teus olhos,
Salva os dedos, salva as miragens...
Salva-te...
Toca o sino...

Esquarteja o tempo!