Friday, July 18, 2008

Olhar de Lua

Tempo que passa, foge desgovernado.
Arrepiado, flutuando na memória:
Escapa sem o olhar...
Escapa sem ver o mar...
Escapa sem o tocar...

A Lua emaranha-se em silhuetas,
Num pedaço "agridoce"
De estrelas cintilantes, ampulhetas.

O Perfume das pétalas descairá
Sobre a inundação do Ser.
Remoinhos de vibrações
Enchendo poções.

8 comments:

Lord of Erewhon said...

Vê se fazes a opção de publicar na NA... :)

Abraço!

Fragmentos Culturais said...

... lindíssima a imagem, Dark_!
Belo o jogo de palavras de teu texto poético!

Sensibilizada pelo olhar em 'fragmentos'!

... já reparei que apenas não respondes aos meus 'comentários'! Não tem importância :)

a.m said...

O tempo corre como andorinhas por entre os céus... ficam apenas as memórias que nos levam a correr como andorinhas, pelo nosso próprio céu...
bj

Twlwyth said...

Gostei muito deste olhar cintilante.
Já há uns tempos que não escrevias assim um poema com a sensibilidade com que o fizeste.
A Lua inspirou-te. :)

DarkViolet said...

Lord of Erewhon:

Assim o farei...:)


Fragmentos Culturais:

Uma imagem de Lua voadora...

Os teus comentários estão respondidos. Raramente respondo aos comentários quando são publicados;)


a.m:

E do que se faz com as memórias pode-se construir um castelo


Twlwyth:

Ela sem dúvida é uma boa inspiração. Consegue fazer qualquer homem usar a imaginação para puder voar

Fragmentos Culturais said...

... muito obrigada pelo teu curto comentário/resposta!

Não te incomodes! Virei, independentemente de tudo!
Aliás, gosto pouco de coisas 'forçadas'!

Quanto à tua 'desculpa'... de raramente responderes aos comentários! Esquece, meu amigo 'Dark_' ... já te conheço há uns anos... sei o costumas fazer, o que queres fazer...
A observação dá-nos esse 'privilégio :)

DarkViolet said...

Fragmentos Culturais:

"sei o costumas fazer, o que queres fazer...", para onde vou, onde pinto labirintos, quando chego ao enigma do insolúvel, o que pergunto nas respostas as sementeiras que faço, da escuridão como a ilumino?!! Se fôr isso tudo fico preocupado coma identidade do meu ser e do meu humor:D

MagnetikMoon said...

As silhuetas da Lua celebram loucura inocente...