Saturday, July 05, 2008

Torre

Erguer janelas espelhadas à volta da torre, aliança terrena do reflexo.
Erguer ramificações desabrochadas no contraste sombrio, estendido sobre a perspectiva de caminhar.
Parte do corpo é cortada...Parte do corpo é esvaziada...Parte do corpo é deslocada...

O fluxo geme na correria dos patamares, enlaçado no topo do mundo, no topo do próprio ser. Berço das sensações toca a maternidade... Voar sobre o manto das divindades.

8 comments:

Twlwyth said...

A vontade das divindades perturbam o ser.

Beijo

DarkViolet said...

Twlwyth:

A torre constrói-se mas existe a perda de partes...

Fragmentos Culturais said...

... por vezes deixas-me absorta entre o sensível e o 'horrendo'!

Brueghel também fez essa ligação!
Impressionante a grandeza de suas pinturas!

Sensibilizada pelo olhar em 'fragmentos'!

Klatuu o embuçado said...

Um ícone borgiano e esotérico...

Abraço.
P. S. Falta muito para publicares na NA??

MagnetikMoon said...

Afoga a torre e abraça as divindades:)

DarkViolet said...

Fragmentos Culturais:

Ainda vais desmaiar.. Tem cuidado com as telhas da torre :)
Existe muitas portas no conhecido...


Klatuu o embuçado:

Gostava de ter um pouco mais de tempo. Aqui as coisas saem livremente, lá sinto-me envergonhado com tanta gente:D
Um dias desses publico


MagnetikMoon:

Só o faço se a torre chegar ao profundo das trevas

Fragmentos Culturais said...

...quanto humor, na tua respota, Dark_
'negro'... só podia ;)

A desmaiar, desmaia-se por falta de saúde, não por palavras mal compreendidas!

DarkViolet said...

Fragmentos Culturais:

Ainda bem que os comentários tem datas por baixo para as puder ver...
Desmaia-se por tanta coisa que duvido que fique limitado somente na saúde