Tuesday, March 09, 2010

Ir

A bebida enfrascada pela hora, impercebível ao gosto do olhar. Cada um saboreia as estações na hora do dia da permuta, da luz e da escuridão. O retorno do início vira ao contrário a vareta do fim como se fosse uma piscadela fundida no infinito.
Aos raios das trevas a questão é ingerir a visão na sombra desconhecida de acreditar na sequência do destino, não um destino qualquer mas o destino em que não importa se a folha se encontra embebida ou bêbeda de melancolias.
Aos raios das luzes é necessário visionar a tabela das encruzilhas, destilar o orvalho para após alguma reflexão partir no trilho do desconhecido.
Ir, sem questionar o Ir!

11 comments:

Olhar Meu said...

Um bom texto para pensar e refletir.

Bjo
Fatima

Frankie said...

É bom ter as tuas palavras de volta; tens uma forma mt especial de as destilar, lentamente, como se vertem os licores e actuam os venenos capazes de enlouquecer os homens...

:)*

VANUZA PANTALEÃO said...

IR
Seguir no trilho do desconhecido, é isso que é a vida, mas ninguém entende, ninguém quer aceitar. Somos cegos.

PS: Já me disseram da Biblioteca do Porto, muito linda. Vou colocar o crédito.

Valeu, DARKVIOLET!!!

MARTHA THORMAN VON MADERS said...

Obrigada por visitar meus cemitérios, belo lugar aqui, belos textos, são seus?
Gostei demais do que aqui lí.
beijos

VANUZA PANTALEÃO said...

Olá, DARKVIOLET!
Não encontrei novo post, mas gosto de reler e refletir. Nessa segunda vez fiquei mais impressiomada...

A Martha e a sua Arte, seus cemitérios, ela tem muito para nos acrescentar. Foi bom, dois amigos juntos.

Beijinhos!
[os créditos da Livaria Lello já estão lá]

Miosotis said...

... não sei se há destino! Mas que ele nos provoca o tempo inteiro...

Um texto de 'aceitação'[?] da existência do ser, bem ao ritmo do teu pensar!

Foi muito bom ler-te de novo em 'fragmentos'!

... tal como eu, também tu tens andado um pouco arredio das escritas...

Miosotis said...

Serena Páscoa!

Nanny said...

O importante é a viagem... não o destino!

Deixa-te IR

;-)

Miosotis said...

... constato que ainda 'viajas'...

Gostei muito das palavras que me deixaste! Sempre sensível, apesar de 'dark' :)

Percursor said...

Indo, pelo caminho descubro para onde quero ir.

DarkViolet said...

Olhar Meu:

é necessário deixar ir o Ser enquanto ele deperta o orvalho, sem destino com algum destino na mão


Frankie:

Os trilhos dos comboios voltam sempre onde se sentem bem e enquanto me sentir bem escreverei, mesmo no Ir


VANUZA PANTALEÃO:

Existem muitos condicionalismos que nos aprisionam. O maior é mesmo o próprio Ser que está sempre a encontrar encruzilhadas sem sentido.
Os cemitérios andam por aí, onde menos se espera existe lá a serenidade


MARTHA THORMAN VON MADERS:

A maioria deles são meus. Obrigada


Miosotis:

A provocação do destino é escutar o seu murmúrio infernal.aceitação, ir, vai dar ao mesmo sim.
tudo tem correntes. nao se escreve por aquie, escreve-se noutro lado, nem que seja a andar e a fazer letras no cerebro. Pascoa Feliz para ti também


Nanny:

A vigame pode fazer parte do destino ou vice versa. o trilho tem sempre um lugar de conecçao


Percursor:

É preciso interiorizar o caminho para saber se esse ritmo está na Alma de cada um, concordo