Wednesday, April 28, 2010

Jardim Botânico do Porto

Há cantos onde as cores perfumam as vistas, basta ir de encontro a eles, explorar as profundezas do tempo vagaroso e sabe-se que a Alma é recolhida no sopro da natureza. Existem múltiplos lugares na cidade do Porto para que isso aconteça, o Jardim botânico é um deles. Nesta altura espalha cores nos soluços das suas envolvências, as flores gemem de fragrâncias, os seios das pétalas pingam os tecidos feitos da nudez dos anéis. Mantos de folhas verdes enroscam-se aos galhos, com os cabelos a deslizarem nos dedos de fogo dos raios solares. Entra-se nas pedras de vulcões quando os gatos rebolam na suavidade das sombras a procurar o chorar das águas ou o movimento inquieto dos pássaros. Tudo se harmoniza na vastidão dos pequenos labirintos, dos lagos germinados no além, dos cactos de pele infernal, das estufas que procriam a semente da insanidade, colher a pétala de esboços. Existe pedaços que deflagram em espinhos flutuantes nos nenúfares, rejubilam botões de cataratas nos filamentos das fugas impossíveis. Esferas a badalar assombrações na gruta mágica da cidade.

9 comments:

Gothicum said...

Um bom sítio para alucinar!!


abraço

Olhar Meu said...

Não conheço, mas a avaliar pelas fotos só tenho uma palavra...FORMIDÁVEL! Um lugar a não perder sem dúvida.

GBjo
Fatima

Frankie said...

Muito bela, esta tua visita ao "meu" (depois de tantos anos lá, acho que assim o posso chamar) Jardim Botânico.

Quantas saudades de lá voltar...

Daisy Libório said...

Lindíssimas flores...

Miosotis said...

... lindo e tão profusamente descrito, Dark_

O teu texto faz jus pela adjectivação frondosa, e outros tropos, à menina que ali brincava, e aí aprendeu a tornar tão ricas as descrições dos espaços de seus livros! Sophia de Mello Breyner! Casa (quinta, na altura) de sua avó que depois foi aos poucos 'retalhada'... ficou apenas esse recanto paradisíaco! E a casa!

É mesmo um sopro da natureza em plena via citadina, mas debruçado sobre o rio...

Lindo! No todo...

DarkViolet said...

Gothicum:

E entranhar a natureza nas suas diversas formas


Olhar Meu:

É u belo local para passar um dia. Pequeno mas cheio de vida


Frankie:

É um espaço com uma grande riqueza de vida vegetal. Deve-se sempre retornar aos sítios onde existem boas recordações.obrigada


Daisy Libório:

Existem lá mais flores, uma enorme diversidade. Nesta altura despontam como cogumelos ehehhe


Miosotis:

Sim a quinta era pertence da família Andressen. Foi retalhada pela VCI que faz com que o ambiente sonoro nao seja grande coisa. é o ponto negativo mas que nao belisca os muitos pontos positivos do local.
Um espaço que toca a Alma é muito fácil de descrever
Não se nota a presença do rio mas o lago faz a ligação.
Obrigada

Twlwyth said...

Os efeitos da polinização que espalham a beleza pelo jardim.

Adorei este texto.

Frankie said...

"Quelle admirable journée! Le vaste parc se pâme sous l'oeil brûlant du soleil, comme la jeunesse sous la domination de l'Amour.
L'extase universelle des choses ne s'exprime par aucun bruit; les eaux elles-mêmes sont comme endormies. Bien différente des fêtes humaines, c'est ici une orgie silencieuse.
On dirait qu'une lumière toujours croissante fait de plus en plus étinceler les objets; que les fleurs excitées brûlent du désir de rivaliser avec l'azur du ciel par l'énergie de leurs couleurs, et que la chaleur, rendant visibles les parfums, les fait monter vers l'astre, comme des fumées (...)"


Charles Baudelaire - Le Fou et la Vénus

DarkViolet said...

Twlwyth:

Mesmo sem polarização existe muito beleza para pingar no jardim. assim sendo certos locais são mágicos. Obrigada


Frankie:

Bonita dedicatória ao jardim