Monday, November 02, 2009

Lágrimas Lunares

A terra queimada pela sombra rejuvenesce os vales selvagens das montanhas escarpadas, curvas delineadas em vertigens apocalípticas no vértice do império das noites lunares. Turbilhão de mantos a uivar gritos velozes, trepam pelas silhuetas das danças até ao sussurro dedilhado da metamorfose, violações incessantes ao compasso da Lágrima entranhada.

7 comments:

Um Olhar said...

A magia de um horizonte lunar a encantar quem se detem para te ler. Uma boa semana para ti...

Bjo
Fatima

VANUZA PANTALEÃO said...

"Silhuetas das danças..."
Esse movimento nas palavras, sussurros, como explicar?
Não tem explicação.
É você, Darkviolet!
Abraços, boa semana!!!

Frankie said...

É interessante...teres falado na metamorfose. Logo hoje ;)

Beijo.
Não comento o resto :P

Gothicum said...

lágrimas os puros cristais dos ser...


perdem-se tantos!


Abraço

Lúcia Machado said...

...corpo desfeito, jaz sobre o nada...torna-se humús sobre a terra desvirginada...


Pensamentos, devaneios, que nos confundem e nos fazem criar histórias ao imaginário de cada um

A. Reiffer said...

Lindo! Realmente lindo!

DarkViolet said...

Um Olhar:

A Lua encanta as maravilhas dos olhos até ao despertar do fogo


VANUZA PANTALEÃO:

tudo que envolve movimentos tem uma magia inexplicável e ofuscante


Frankie:

A Lua sofre metamorfoses na sua dança, pedaços que são apanhados pelos feitiços das pessoas que assim o desejam


Gothicum:

perdem-se tantos, encontram-se tantos, e assim o ciclo desagua no infinito

Lúcia Machado:

A vertigem da virgindade é um abismo. A dispersidade do absurdo na imaginação dos dedos


A. Reiffer:

Obrigada