Saturday, November 22, 2008

Solidão

Ia ficar com uma mão livre quando estagnei o corpo no céu. Meio atrapalhado rocei os olhos um no outro, deixei cair as mãos numa lufada de frescura. O entrelaço gemido arregaçou a sua preguiça, roçando o horizonte, resvalando o destino. Não entendi se a imaginação das folhas estaladiças penetrou ou não o véu do meu rosto, sei que as frescas luzes se misturaram como raios oblíquos, a desdobrar as brisas nubladas, cruzando a rouca solidão do caminhar nu das árvores.
Acolhi dos rudes desertos a força das subtilezas, salpicado da vegetação formado pelas correntes. O desaguar do labirinto foi-me pintado no cume das melodias. Cortei a retalhada tela, a formar folha atrás de folha, conjunto de levezas. Entretida Alma tocou a face, desconcertante nota de Outono na semente do milho...

7 comments:

Gothicum said...

"A natureza é o único livro que oferece um conteúdo valioso em todas as suas folhas" Autor desconhecido.

Muito bom. Abraços

Alisson da Hora said...

"Não entendi se a imaginação das folhas estaladiças penetrou ou não o véu do meu rosto, sei que as frescas luzes se misturaram como raios oblíquos, a desdobrar as brisas nubladas, cruzando a rouca solidão do caminhar nu das árvores."

e há momentos nos quais as paredes das estações transformam-se em espelhos para nossa solidão perene...

lindas palavras, camarada...

abraços!

Miosotis said...

... por vezes os teus textos deixam-me absorta! Pela riqueza vocabular, pelo jorrar de palavras que se soltam em sentires!

E por vezes...

Sensibilizada pelo olhar atento a 'fragmentos'!

Violeta said...

texto bonito mas triste. Conheço a sensação...

DarkViolet said...

Gothicum:

Belas frases que me presenteias:) Sem dúvida nenhuma; a natureza consegue criar a imaginação em cada folha desbotada.


Alisson da Hora:

Reflexo, reflexos, miragens e o belo Outono acolhe as subtilezas. Uma por uma


Miosotis:

Então será melhor ficares absorta do que ficar "por vezes", será? As palvras ao brotar, tem tanto significado duma maneira ou de outra, só se habitua a mente a só absorver certas formas de notas.


Violeta:

Não considero o texto triste. Até acho bem pelo contrário, um texto de esperança ou eu estarei a ver mal? hummm

MagnetikMoon said...

Percorre-se a avenida das folhagens enfeitadas pelos sonhos que são realidades gritantes de suavidade.Soluçam os ramos e acolhem as pétalas o prazer bravio dos troncos abraçados!

Magnetikiss;)

DarkViolet said...

MagnetikMoon:

Nos troncos existe uma solidão terna, subtis brisas para quem quer entrelaçar o horizonte na cor da saudade. As folhagens são a vontade de continuar um ciclo, recolocando a nudez onde ela pertence