Monday, February 16, 2009

Brinquedo

Sou um mero brinquedo com articulações móveis. Dos olhos fulmino o escorrer instantâneo da paisagem caótica, muito além do infinito, perto do saciável corredor das aflições. O jogo das peças perdidas faz o esqueleto estacionar numa paragem, desenhando a vertigem das árvores junto dos meus pés. Dedo a dedo, montes de sinónimos ficam impressas na língua sem som, cantarolar labiríntico do movimento impróprio, impregnado em filosofia de letras fugitivas...Mero brinquedo!

7 comments:

Gothicum said...

"Só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar. E eu não vou me resignar nunca."
Darcy Ribeiro

...às vezes sinto-me esse tal boneco articulado...(sem fios).Ando sempre na corda bamba. Tipo mico de circo ou mesmo um bonecro qualquer de um teatro de fantoches bonecreiros. Abraços

Pearl said...

Quem nos articula é inrresponsável, empurrando-nos para o caos.

beijo

Secret said...

Às vezes parece que a mente humana se desmultlipica nas diferentes identidades que sinto que possuirmos: o que achamos que somos, o que os outros acham que somos e o que somos na realidade fica sem espaço!

Dark-me said...

Todos somos!!...

Dark kiss

DarkViolet said...

Gothicum:

Os fios ajudam, sem eles ainda te podes sentir perdido Por outro lado os fios podem estar amaldiçoados, estado caótico que puxa para um lado ou outro

Pearl:

Estar num estado mais consciente possível é uma melhor opção

Secret:

Deverá sempre ficar com um espaço, a não ser que o próprio Ser não o permita. O desmutiplicar da mente a bre as portas à fugitiva filosofia

Dark-me:

Uns mais que outros

MagnetikMoon said...

Uma sombra ergue-se nos filamentos das articulações, dá vida à vida tecida em colares de subtilezas.

Magnetikiss;)

DarkViolet said...

MagnetikMoon:

As articulações movem-se com os dedos a pulsar freneticamente, cuja vertigem faz o esqueleto ganhar vida. A sombra acompanha as aflições