Thursday, March 09, 2006

Desassossegado sossego

A paisagem desbota,
Licor de mulher conforta,
Bela capela de mármore,
Rotundas de fornos...

Cactos que adoçam os néctares,
Arrebatar o olhar, culminar o prazer,
Almas de fogo a pautar o sol,
Conchas a fervilharem de meiguice...

Embalamos as luzes de sombras
No entardecer do vento,
No acordar dos raios,
Ladeiras de desassossego, sossegado, acaricia-se, delicia-se...

Robustez de afectos na melancolia do desejo,
Corpos derretem-se no afecto, a pele...
Dissolver o perfume de frascos comprimidos,
Encher a essência de aromas...

Roçar a sensibilidade,
Nas emoções de amar,
Na profundeza abraçados,
Geme o tempo...gememos...

1 comment:

Kali said...

Que essa silhueta de mulher te faça renascer dessas cinzas onde te obrigas sofrer... sorrio... os sinos clamam a noticia..