Wednesday, January 14, 2009

Criança Com rosto

A visão distante cobre as articulações do esboço, nada respira no véu molhado. A aflição prisioneira da escrita, sentinela da memória, conversa interminável a perturbar o passo do fogo; são os retalhos que a letra vive como desconhecido; são os retalhos da Alma a conviver com o Ser. A dança embriagada das árvores faz recuar as margens, folha a folha, o nu da natureza a embaraçar a solidão. Explode o inferno das sensações, fôlego comprimido, onde os olhares sumarentos se degolam com prazer. Perdido, sou o vagabundo do caixão das gotas, lareira.
A ver: A Infância de Ivan de Tarkovsky

10 comments:

Alisson da Hora said...

"A visão distante cobre as articulações do esboço"

essa foto me traz recordações ancestrais...repleta de calafrios...


abraços!

borrowingme said...

ainda ontem tive amigos cá em casa e um deles mencionou os filmes miticos sobre a 2ª guerra mundial...

bem, não fiquei a pensar no teu comentário, não tão profundamente como da outra vez, mas gostei da parte de construções de lençóis em formas de castelos.

soa tão bem...

EyeOfHorus said...

Arriscaria a dizer o contrário, que é a escrita a prisioneira da aflição e não só. Prisioneira até da ausência de todo e qualquer sentimento e que fazer senão escrever insanamente na procura desesperada de recuperar a alma... Tarkovsky era um mestre em transpôr para a película a vida. A dele, a dos outros. Se puderes vê "Stalker", é decididamente uma das suas melhores obras.
Black nº1 kiss

Lady Alexiel said...

Fiquei com vontade de ver o filme, só para saber que obra poderia ter despertado essas palavras...

Dark kiss*



PS: Vim agradecer a visita ao Ninharias (um bocadinho atrasada, admito, mas é o meu jeito -nunca ando a horas-).

Frankie

Peculi said...

o ser criança desperta em nós sempre as mais vivas e intensas recordações.

Simplesmente fabuloso!

"Perdido, sou o vagabundo do caixão das gotas, lareira.

Gothicum said...

"Pessoas extraordinárias são meteoros designados para se incendiar de modo que a Terra possa ser iluminada."
(Napoleão Bonaparte)

...tal como as lareiras, ardem para queimar o lixo da vida ou alimentar o calor do corpo. Os rostos, muitas vezes, são as cinzas provenientes dessas combustões espontâneas que destroem a visão ou lhes dá o poder de captar o incaptável. Abraços, bom post.

bat_trash said...

Torrente de sinestesias...:)

Dark Kiss.

DarkViolet said...

Alisson da Hora:

As fotos conseguem transmitir sensações tão diversas podendo até chegar ao estímulo de fazer voar para outros lugares


borrowingme:

Pura coincidência. Todas as conversas se resumem às vivências. É uma adaptação dos castelos de Fernando Pessoa;)


EyeOfHorus:

Não deixa de também ser verdade. Escreve-se nesse sentido, de colocar paisagens virtuais num esboço de letras, tentar que a realidade faça regar correntes de pureza. Tentarei ver esse e os outros da sua colecção, pelo menos tenho esse objectivo em vista. Terei uma opinião mais crítica quando os vir:)


Lady Alexiel:

O rosto das crianças consegue chegar à Alma e ficar lá a brincar a sinceridade com a honestidade. O tempo nuca chega a tempo, anda sempre na redundância:)


Peculi:

As recordações dos caminhos mais puros. Aqueles que são virgens sendo povoados por alucinações tão demoníacas que o inferno existe na margem da vontade. Obrigada


Gothicum:

Sem dúvida. Palavras embriagantes as que escreveste. São vias cobertas de nudez, de nevoeiro, ou de pincéis que rabiscam as gotas. Obrigada


bat_trash:

Quanto as pétalas se orvalham a corrente brota na fonte do rosto

MagnetikMoon said...

Há uma violência febril encoberta tanto na farda como na expressão,até que ponto se tocarão?

Magnetikiss;)

DarkViolet said...

MagnetikMoon:

Tocam-se na vontade, principalmente em ser fiel às pessoas que se Ama. O rosto nublado é a força de coragem, muito mais contagiante que o odor da noite