Tuesday, July 07, 2009

Tristeza da Lua

A mudança da imagem estagnada olha o ponto crítico sentado na escada das sensações. Cumprimenta-se a viagem com as pernas a retroceder, apesar da distância dos espelhos devorar o mistério. Cada abertura nublada pinta o reflexo; cada acto de respirar minimiza o esquecimento; ou, se a ousadia o permitir, a levitação chega ao ponto do não retorno. O chilrear perpétuo alcança os contornos iluminados ao mesmo tempo, naquela fracção pingada do orvalho, a sossegada sombra pendura-se no horizonte fugidio surpreendendo a torre da memória.
O palco da tristeza está apresentado. Agora a Lua acolherá a sobrevivência do Ser na sua imaculada vontade de absorver os pigmentos, o propagar dos recônditos fumos.

Galeria de Paul il Ramingo

19 comments:

Um Olhar said...

Muito bonito... conjugas a subtileza das palavras com a intensidade das emoções... Diria que tens a comunicação como arma e a palavra como ferramenta.

Bjo

Fátima

Alisson da Hora said...

A Lua é a mãe de todas as minhas tristezas...

Anjo vermelho said...

a lua é fria e triste mais tem a capacidade do nos proporcionar o levitar dos pensamentos e a plenitude de nossa imaginação ainda me pergunto como vc consegue escrever tais palavras taum complexas e taum deliberadamentes magnificas?!

beijos em seu coração!
boa tarde!!

Gothicum said...

..chamem-lhe, Lua, Deusa, Satélite, Astro do destino, Imagem do mal, Olhos da noite, Queijo nas águas do poço...continuará a ser das coisas mais belas do Universo e da Natureza...Esfumante imagem e texto! Fica bem!

VANUZA PANTALEÃO said...

A dialética da feminina lua, tristeza e angústia de nunca poder tocá-la...
Darkviolet, texto e imagem absorvidos pela nossa sensibilidade...ótimos!!!Bjsss

orien said...

"Terão eles o conhecimento de um acto tão puro?"

E não será ainda mais frustrante que não o tenham?
Que tudo seja em vão?

Spidraphile said...

Lindo texto, como de costume!
Deep ..
gosto de por cá passar, porque não só leio as palavras .."sinto-as". :)

Grande beijo *

António Rosa, José said...

Belo texto. Quase poesia e muito bem escrito.

Äмbзr Gïrℓ ⅞ said...

cada ponto do universo, cada ponto fora de nós mesmos. um quadro perfeito.

Blog Suicide Virgin

VANUZA PANTALEÃO said...

Bom te ler, amigo. Muito melhor, perceber o que transmites...obrigada!
Inspirações nesse final de semana!!!Bjs

Nuno G. said...

visitei-te pela primeira vez e gostei imenso... vou continuar a aparecer!

(www.minha-gaveta.blogspot.com)

Claudya said...

Lindo! Like the image too. Te conheci pelo blog da amber.

Miosotis said...

'O palco da tristeza está apresentado.'
Gosto desta imagética dos sentires que se transmutam nas noite de lua!

A lua nem sempre foi tristeza...

DarkViolet said...

Um Olhar:

Uma tentativa de expressar parte da Lua, parte do inalcançável sabor que ela entranha nas suas cavernas. Deve ser magia:)


Alisson da Hora:

Ela tem múltiplos rostos dos quais desagua magia de feitiços. Ela abraça como o Amor de mãe


Anjo vermelho:

Ela é muito mais que fria e triste. Consegue fazer remoinhos de chamas dentro da mínima energia, furar o subsolo da memória. Deve ser um dom:) também não é assim tão linear


Gothicum:

Tantas formas e consegue ser pura nesse estado metamoforsico. Brilha no estado selvagem, brilha acompanhada da suavidade. Obrigada


VANUZA PANTALEÃO:

Dizem que é feminina, mas o masculino tem parte feminina. a sensibilidade da Lua tem pura magia, fragmentos de reflexos. Obrigada

DarkViolet said...

orien:

Há sempre um sentido na expressão pintada, seja ela com uma tristeza mágica. a absorção da pureza é um acto de grande sensibilidade


Spidraphile:

Obrigada. Por vezes se o Ser vai às profundezas consegue banhar-se no nevoeiro da magia da Lua. O sentir deve fazer parte do trilho do Ser


António Rosa, José:

Obrigada. são gotas de romantismo:)



Äмbзr Gïrℓ ⅞:

A propagação do infinito na fronteira da absorção, respirar. Não se pode pedir muito à perfeição, ela é esguia...


VANUZA PANTALEÃO:

Prefiro o contrário, ler e sentir através de mim o texto lido. Ir às profundezas de quem escreve é algo muito árduo, do qual se pode sentir perdido em muito pouco tempo


Nuno G.:

obrigada!


Claudya:

A foto tem algo de muito especial. Obrigada



Miosotis:

Claro que a Lua não é só tristeza. Esta "tristeza" acolhe os contornos iluminados pelo tempo, aquele tempo de sabores milenares que chegam e absorvem o Ser. Há muitos rostos, sendo eles todos puros na unidade

Isaura Pereira said...

Vim cá parar por intermédio de outros cantinhos e estou fascinada . Lindisima forma de escvrever ... Amei volto cá de certeza ;)

Beijocas

DarkViolet said...

Isaura Pereira:

A arte da escrita é maravilhosa quando se deixa esvoaçar o sopro na sua liberdade selvagem
Obrigada

MagnetikMoon said...

A Lua está sempre a dançar em ritmos suprasensíveis,é necessário querer penetrar-lhe um pouco do véu que sempre ostenta.Corajoso será quem a isso se atrever... Não é para qualquer um.

Magnetik*

DarkViolet said...

MagnetikMoon:

O contorno do palco da Lua é a profundeza das subtileza da essência, por isso os fumos dançam sempre em harmonia com os seus raios