Tuesday, July 14, 2009

Cego

O Cego na sua “opacidade” cria imagens da harmónica, nota recombinada com o fulgor das chamas que passam do incolor para cores perfurantes ao olhar. Existe na cegueira a formação moldada de fulminantes paisagens, quedas de água gemendo o sopro do dedilhar a tela na lâmina de um acolhedor madrugar, incessante visões do apocalíptico perfumar da essência. A abstracção dos sentidos rola no interior da incógnita fragrância, suspenso na fronteira de captar o invisível dentro do oculto.
A solidão catapulta alucinações distribuídas em mantos aleatórios, pintadas pela escuridão enturvada do fresco cálice. A mão segura firmemente o horizonte, e todo o Ser mergulha num ápice na construção do caos; imagem flutuante do Cego, mágico pernoitar da eternidade no amadurecido néctar da captação insaciável. Em tudo isto todos os Cegos fazem seu rendilhado esboço.

Cego não vê; Cego semeia, rega, colhe a Alma…

Bonsai Por Walter Paul

19 comments:

Äмbзr Gïrℓ ⅞ said...

ler isto foi fabulosos, porque em um texto tão simples, em palavras tao belas, vc pode descrever um mundo que nao vemos, ate que aconteca um dia de não vermos mais nada.

Blog Suicide Virgin

Um Olhar said...

O bater das tuas palavras nos meus olhos...Uma vez mais,a mestria do tanto e tão bem dizer,em poucas e simples palavras.

Gostei, Bjo

Fatima

Anonymous said...

...cego...nem me fales em cegueira...hoje ando às apalpadelas no tempo que não existe...Abraço

Gothicum

Isaura Pereira said...

Simplesmente amei ....

"Cego não vê; Cego semeia, rega, colhe a Alma…" - lindo !

Já não passo sem passar por aqui

Jocas

Oliver Pickwick said...

A alucinação é o perfil mais fiel das entranhas da alma. Talvez, no Cego, seja ainda mais acentuada. Ademais, regar, colher e semear é muito mais além que o "ver".
Desculpe pela visita tardia, mas o meu tempo anda demasiadamente escasso.
Um abraço!

Lúcia Machado said...

..."labirintos" são cifras da Alma...quando a falta de calma nos turba a visão, na obscuridade do ser, que se tornou menor à falta de um novo acreditar.


Gosto de que escreve, estimula a mente... podemos fazer várias leituras... que nos confundem...

Blizard Beast said...

Muito bom. Escreves muito bem!

Anjo vermelho said...

O mundo é cego o ser humano se tornou cego...

como sempre belissimo!!!

sem palavras....

enorme beijo bo fds!

bat_trash said...

Mas não é cego de sentidos no todo.

Beijo grande.

Mr. Lynch said...

DarkViolet;
E existem tantas formas de ser cego. Basta compreendermos a metáfora que o nosso prémio Nobel utilizou no Ensaio Sobre a Cegueira.
Gostei da harmonia entre o teu texto e a imagem que utilizaste.
Perfeito

Ana Sofia said...

Ser cego é ver e sentir mais do que aquilo que entra pelo olhar...

Miosotis said...

Belíssimo este teu texto sobre a 'cegueira' de alguns Seres!

E quantos, tendo o maravilhoso dom do olhar, não vêem nem sentem, mais de metade do mundo que os invisuais 'captam'!
Invisuais... como é possível semelhante definição se eles 'vêem', sonham, criam, desfrutam, sensações inusitadas e sentem fragrâncias extasiantes que os 'visuais' que somos nós nem imaginamos...

Sensibilizada pelas palavras lindas em fragmentos!

Carpe diem!

... o bonsaï, uma obra de arte produzida pelo homem que a cria e cultiva! Gosto muito!

DarkSoul... said...

As poeiras abraçam em queda os minutos entrelaçados por sons anémicos e todo este deserto cimento morde num compasso lento as mãos de um sonho adormecido.

Claudya said...

Gosto da parte onde vc. cita que a abstração dos sentidos rola no interior.... lindo.

DarkViolet said...

Äмbзr Gïrℓ ⅞:

A descrição dum cego pode ser duma qualidade excepcional, basta que se tenha o rio a correr duma forma pura.Obrigada


Um Olhar:

O cego amadurece sempre no seu próprio devaneio, no olhar desconhecido do horizonte.
Obrigada


Anonymous (Gothicum):

Deste que apalpes com uma enorme vontade, e depois te embriagues com lucidez para escreveres de novo;)


Isaura Pereira:

A escrita do cego é a frescura de uma nova visão
Obrigada


Oliver Pickwick:

Qaundo existe a ausência de certos sentidos parece que se ganha uma nova vontade em querer captar a simplicidade, assim sendo evolui-se em cores delinhadas em paixões



Lúcia Machado:

Por vezes é isso; a criação de várias perspectivas onde tudo se pode sem tentar fugir à sementeira dos remoinhos, rendilhar
Obrigada

DarkViolet said...

Blizard Beast:

Obrigada


Anjo vermelho:

Se o Homem fosse cego conseguiria ir até À fonte da sua existência. a maiori a tem olhos mas não os sabe utilizar em simultâneo com as suas capacidades


bat_trash:

Desenvolve por partes quando devia desenvolver em harmonia


Mr. Lynch:

Consegues captar certas sensações que impressionam. é verdade a imagem tem muito a ver com o texto em muitos sentidos: cores, fluidez, crescimento interior exterior...
Obrigada


Ana Sofia:

Deve entrar muito pela essência da Alma numa corrente de colheita, numa corrente de sementeira

DarkViolet said...

Miosotis:

é triste quando acontece ter os sentidos e não os aproveitar para os evoluir. Todos os Seres podem explorar seu mundo, o estranho é de ficar estagnado num movimento ser monotono. as fragâncias estão em todo o lado basta as querer rendilhar no manto da Alma
Obrigada
Tem o seu magnetismo o bonsai

DarkSoul...:

O cego não está adormecido, permanece em agitação, num tormento compreendido pelas fronteiras do seu cálice. O compasso mede o ritmo


Claudya:

a abstracção forma imagens concretas
Obrigada

MagnetikMoon said...

A sensibilidade e intuição que um verdadeiro cego possui , quem dera a muitos poderem alcançar,porque estes últimos,que são desprovidos de inteligência e de tacto,não sabem decifrar a mónada!!!

Magnetik*

DarkViolet said...

MagnetikMoon:


Todos os sentidos a serem desenvolvidos requer trabalho, por isso quando um falta existe uma força enorme para desenvolver os outros numa sintonia embriagante; o cálice rendilhado da Alma a semear múltiplas construções