Thursday, July 02, 2009

Respiração Desfolhada

Sopro da brisa dentro do fogo, assim é a respiração; adopção permanente da esperança da Alma em absorver o cálice dos remoinhos saltitantes. Cada envolvimento existe a carência, mas nesse entrelaçar a partilha favorece a convivência insana. Está lá na perseverança da ausência delimitada, organismo intermitente a consumir um compasso encadeado pelas cordas desfolhadas numa plateia ávida do invisível para acarinhar as cortinas, a embalsamada viagem.

Galeria de Prairiekittin - Albuns

7 comments:

Anjo vermelho said...

Um momento assim faz o coração parar o mundo sintonizar numa só frequencia... ham..!
ainda penso que é misterio suas palavras cheia de ardor ,fortes e inpulsivas.. quantas mais surpresas pode-se encontrar em suas palavras..?!!

Deus te abençoe tenha uma otima noite.

beijos de anjo em seus coração!!

Pearl said...

Se pudesse eu congelar momentos e eterniza-los de forma espontanea, era o que faria...


beijos

Um Olhar said...

Perante muitas indefinições do que é prosa poética...aqui fica o exemplo prático e sublime dessa figura de estilo literário aqui versado.

Em silêncio li, e compreendi.

Bjo

Fatima

Gothicum said...

...nem duvides Dark...nem duvides! A brisa tem o poder de nos soprar as emoções de nos tocar bem fundo...no âmago da alma...Abraços!

DarkViolet said...

Anjo vermelho:

Sopram as asas, sopram os labirintos. As palavras transmitem ou tentam transmitir um véu, quando invisível o texto fica encadeado.
Um óptimo dia neste caso:)
Obrigada


Pearl:

Podes eternizar cada momento num sulco de emoções; aí partilhas com o teu Ser e tarnsformas cada chama em fogo ou em gelo, consoante o trilho da respiração


Um Olhar:

Se ponho isto em verso ficaria com uma forma mais apresentável mas também assim fica bem. A compreensão das metáforas é algo envolvente, pulsar do qual dedilhado pelo licor do ar consegue trespassar a metamorfose e criar a vida além do ilimitado conflito do Ser


Gothicum:

É um desfolhar intempestivo, terramotos de alucinações em que o ar carente de sobreviver se alimenta de si. Sulcos de montanhas no pulsar da viagem

MagnetikMoon said...

Vibrante imagética de planagens atmosféricas e internas.O cálice floresce.

Magnetik*

DarkViolet said...

MagnetikMoon:

A respiração das borboletas cria viagens invisíveis, cordas embaladas as brisas. elas sabem como o sopro é importante para a sobrevivência