Monday, April 02, 2007

Viagem

Muitos sonhos entram nos lagos das pessoas: a viagem escondida nos cantos das fragas, o odor da mistura dum mercado, a lança dos campos na mudança das cores. O tesouro da ilusão mora na esquina de cortejar as letras, onde o alinhamento do percurso solitário segue pelos labirintos. Parar num ponto corta a chama, mas é necessário para depois ir ao fundo dos contornos. Visão das pastagens desérticas.

7 comments:

collybry said...

Gostei de Te ler, virei com mais tempo...até lá meu rasto deixo e uma bjca

DarkViolet said...

collybry:

Tem cuidado com o tempo...Ele consegue pôr as pessoas num poço muito profundo:)

Klatuu o embuçado said...

Sonhar demais pode dar em ilusão... disso não duvides.

Abraço.

DarkViolet said...

Klatuu o embuçado:

Não sonhar pode ser mais perigoso. Disso também não tenho dúvidas:)... É preciso fazer pelo menos um sonho real, e depois acreditar no seguinte, e no seguinte...concretizar o máximo que pudermos.

Twlwyth said...

Perdia-me agora num labirinto de arbustos macios e perfumados. É lá que estão os sonhos de encanto. Por falar em sonhos, tens uma resposta na cidade.

Miosotis said...

Lindo texto filosófico sobre o 'valor' do sonho...
bjs da amiga em tons de azul luar

DarkViolet said...

Twlwyth:

Quase aposto que desejarias um mar de musgos:)



Miosotis:

A Lua presente está... Ela possibilita belas viagens e é sempre uma boa companheira