Wednesday, August 02, 2006

Peregrinar

Correntes de espaços abertos,
Mergulhados nas narinas,
Repouso em searas sem nexo.
Queimando a Alma no perfume,
Ardando sem vontade.
Transbordo naufragado.
Complicadas palavras
Que fecundam a ausência,
Transformo o baú de cogumelos
Num elixir...

Peregrinar a imortalidade...
Ceifo a crina do cavalo...Amo...
Planícies...

2 comments:

missixty2000 said...

Essas searas foram ceifadas há muito, só lhes resta os despojos secos que vão ardendo conforme sopra o vento....e se acalma a brisa..

DarkViolet said...

Nas nuvens dançantes...talvez