Saturday, June 03, 2006

Sem sentido

Por dentro da história deixei de ter memória.
Rasguei pântanos de musgos
Por desvio de olhos ocos...
As lágrima florescem derretidas na jóia

Caem folhas, Caem folhas,
De cinzas se cobrem...
Crescem olhos, Crescem olhos,
Curvados da cor dispersiva...

Dia do Dia,
Que mia, já não ria...
Sorria quando abria e via...
Tossia nessa alegria...

5 comments:

Anonymous said...

escreve-se "tossia" do verbo "tossir"
é deploravel alguém tentar elaborar um pseudo poema, ainda por cima cheio de erros gramaticais.
Poucos hábitos de leitura traduzem-se nisto.

DarkViolet said...

crcoondo ttaoenmlte

clemente said...

o poema é realmente medíocre.

Anonymous said...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»

Anonymous said...

Hmm I love the idea behind this website, very unique.
»